quinta-feira, 11 de junho de 2009

Memórias de Sarah X



"Olho os favos que o homem retirou da colméia. E lambendo mel dos dedos penso que o amor é assim mesmo, cheio de vazios como casa de abelha. Mas em parte me engano,
Porque o amor não tem essa regularidade geométrica, essa organização previsível,
O vazio pode aparecer quando menos o esperamos, desorganizando o que existia e impondo suas regras.
E embora quiséssemos o amor compacto, mantido sempre no ponto máximo de fusão dos amantes, são justamente estes que lhe dão elasticidade, permitindo-lhe respirar e manter-se vivo."

Pág. 101 – Os espaços em que ele vive...

Uma história de amor!

“Eu esperava pela janela, contando o tempo pelas batidas do coração.
De repente, um corpo esguio, as mãos macias; venha.
O silencioso balé de corpos, a dama pelo lado de dentro da calçada...
A noite fugia como areia entre os dedos, então retornávamos, retardando o passo,
Os corações, o compasso... O beijo tremulo, entrelaçando amor e desejo. Amor. “Boa noite, um último sussurro, sufocadas de paixão, até amanhã, então, entre um penúltimo sorriso, está bem, até amanhã e amanhã e amanhã.”
FELIZ DIA DOS NAMORADOS!!!!!!!!!

Um comentário:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui lendo um pouco !! Abraços Ademar!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...